Pequena Biografia

Unir som eletrônico underground e letras: esta é a minha proposta!

Transdutor_Music

Este é Transdutor!

Meu nome é Andre Martines ou você pode me chamar também de Transdutor. Sou produtor de música eletrônica e desenhista de quadrinhos. Meu projeto musical consiste em ser um vocal-live onde no palco eu manipulo minhas músicas eletrônicas autorais digitalmente, canto minhas letras e recito poesias e frases de efeito. Não sou músico. Sou manipulador de som. O verdadeiro músico extrai notas de um instrumento e no meu caso, eu manipulo ao vivo sons previamente gravados em recortes e loops! Meu sonho em criar um projeto eletrônico tem suas primeiras sementes em 1998. Tentei me juntar com pessoas para formar grupo ou uma espécie de banda. Após várias tentativas, eu  entendi que individualmente posso entregar toda uma energia musical ao público e aos fãs.  Trato esse projeto como um filho. Talvez, literalmente seja um filho. Ora eu refiro a mim mesmo como Transdutor, ora como projeto musical sempre na 3ª pessoa, ora como um grupo ou família devido a rede de contatos de amigos que possuo e que me dão força na minha jornada.

Quando menciono: "eu sou vocal-live", dá a entender que eu criei uma categoria nova no meio musical. Uma mistura de live .p.a. com vocais, um novo espectro dentro da música eletrônica mas isso, de pegar equipamento eletrônico, um teclado musical e cantar ao vivo no palco, muito cantores nordestinos fazem a um bom tempo. Hoje até músicos que tocam em barzinho estão aderindo às novas tecnologias musicais e se apresentando ao vivo, manipulando o som mais digitalmente .

De 2003 à 2005, fiz um monte de tracks com meus vocais e tornou-se uma assinatura única. Com a sede de produzir, fiz um álbum muito visceral e dinâmico! Meus vocais soavam com um guerreiro indígena. Minhas letras pulsavam uma fúria canalizada. Mas infelizmente, na pressa e na ânsia,  a música não apresentava qualidade ideal em termos de equalização. Consegui criar uma espécia de demo-tape em plena era digital. Lição difícil que aprendi com o tempo. Depois fui me preparando e estudando para finalmente, em 2009 lançar um álbum oficial de nome "Preparado para a Locomotiva? (Are you ready for locomotive?)", que inclui dois videoclips marcantes: a triste mas dançante Rua do Porto" e a sarcátisca e energética "O Selvagem e a Máquina", vídeo este que muitos acreditam que eu fiz para me tornar humorista, mas quem se atentar aos detalhes das cenas, verá plenamente que é uma crítica social. Nesta época, minhas primeiras apresentações ao vivo surgiram, inclusive em palcos enormes com equipamentos de última geração!

Transdutor Underground Electronic Music
Contudo, no período de 2010 à 2017, precisei dar uma pausa. Em tudo!!! Na minha vida, na minha arte, nos meus projetos, nos meus relacionamentos porque havia um caos interno que apertava o meu coração. Tempos difíceis mas também de muito aprendizado. Eu sofria baixa autoestima e sofria calado. E não saiba mais como lidar com toda essa situação que transformava em um espiral de pensamentos e sentimentos negativos e eu estava indo para o abismo! Precisei de um tempo para me isolar, para rever e entender o que se passava dentro de mim. Enquanto eu não cessasse meus conflitos internos, jamais poderia continuar a minha jornada. Eis aí a necessidade da minha reclusão. Não quero me promover através deste distúrbio emocional. Sei que milhões de pessoas sofrem disso - inclusive silenciosamente mas vejo que é necessário relatar este fato através desta minha pequena biografia. A sociedade em si é muito neurótica. Ela é muito competitiva e é muito difícil crescer em um ambiente que só enxerga as coisas no modo sobrevivência. Além disso, muitos conflitos internos surgem também dentro do convívio familiar o que complica ainda mais a situação! Todos se deixam levar por toda essa inconsciência coletiva e sair dessa hipnose e entender quais eram as crenças limitantes que me bloqueavam foram cruciais para minha vida.

É uma longa jornada. Lembro-me que no final de 2012, o meu mundo desmoronou completamente e a partir daí, muita coisa em minha vida passou por uma tremenda transformação - uma transmutação, propriamente dita. Sempre interessei por psicologia social contudo, foi através também da sabedoria oriental (vinda de tempos antigos) que a peça final do quebra-cabeça veio de encontro. Aprendi sobre amar a mim mesmo. Não no sentido romântico ou egoísta, mas no modo mais amplo da palavra Amor que não podemos decrever em palavras, mas sim, através de sentimento. Foi uma perigrinação que muitos ancentrais referem-se como a noite escura da alma, o desejo de encontrar a sim mesmo, ou seja aquela luz que no final das contas, sempre esteve em mim e que eu precisava lembrar disso!

Daí em 2018, eu lanço o álbum "From Roots of Underground" que sintetiza minha nova dimensão de vida focado na fé, na coragem e no empoderamento! De todas as faixas, a música Movimento foi criada antes -  ano de 2010, juntamente com a track Psicanalista, que já prenunciava o que estava por vir nos meus anos de reclusão.

Hoje, definitivamente estou na estrada com o meu projeto Transdutor. Tudo mais claro, mais definido. Quero juntar música eletrônica alternativa com letras e poesias. O que mais admiro neste trabalho é me manifestar através das letras - mesmo que elas sejam uma espécie de carta pessoal. O sentido da minha obra é me expressar através do meu som e também através dos meus desenhos. O futuro é sempre uma possibilidade e Transdutor se consolidará em sua batidas e letras. Como eu disse, não sou DJ nem músico. Sou um manipulador de som. Sons manipulados em loops que  contracenam com a minha voz em uma espécie de som dançante reflexivo - termo este usado pela minha amiga Badu. ;)

Que minhas músicas e minhas letras encorajem o meu público, os meus fãs e amigos. Que tragam palavras de empoderamento e incentivo ao amor a si mesmo. Que reacenda também o entusiasmo pela vida em busca da manifestação dos seus sonhos! E o meu coração pulsa nesta vibração!